A rejeição me assombra

A rejeição me assombra

Uma pesquisa divulgada no ano passado revela que o sentimento de rejeição social causa tanto sofrimento quanto a dor física. Os psicólogos afirmam que o medo de não ser aceito e de ser rejeitado é universal. Posso constatar em mim mesmo. Sofri um bocado com isso quando criança, principalmente porque demorei a perceber que os outros,também por medo de rejeição, mentiam sobre suas experiências ou simulavam situações para não ficarem para traz no grupo.

Esse medo de rejeição começou na infância e se consolidou na vida adulta moldando o meu comportamento. Tanto que o medo de não ser aceito determina as idéias que eu defendo, as pessoas com quem me relaciono e o meu padrão de consumo. Posso chegar ao absurdo de gastar o dinheiro que não tenho, para comprar coisas que não preciso, para agradar pessoas que não conheço. Isso tudo porque o que os outros pensam de mim tem um peso gigantesco. Dessa forma simulo o que não sou e escondo as verdades do meu coração: Como diz Brennan Manning: ” O maior de todos os medos é de ser abandonado por meus amigos e ridicularizado pelos meus inimigos se expuser o impostor e revelar o verdadeiro ‘eu’ “.

A questão é que posso enganar tudo mundo, mas a Deus não. Jesus me conhece mais do que eu mesmo e mesmo assim me aceita. Sua vida foi marcada pelo acolhimento dos rejeitados. Companheiro de marginais, Jesus os constrangia com a grandeza do seu amor e os motivava a querer mudar de vida. Sofreu martírios inimagináveis e morreu na cruz por pessoas como eu. Fale sério, a quem eu devo procurar agradar ? A Jesus ou aos homens que possuem corações corruptos como o meu ?

Quando mais eu leio a Bíblia, mais percebo que o medo de ser rejeitado pelos homens é incompatível com a vida cristã. Ser cristão implica em não se conformar com os padrões do mundo e isso significa que, se eu disser não ao que está na moda, posso ser rejeitado em minha casa, no trabalho e até mesmo dentro da própria igreja. Mas se quero agradar a Jesus, não poderei fugir desse risco, pois Ele próprio foi rejeitado pelo seu povo, pelos seus familiares e pelos seus discípulos.

Jesus foi rejeitado porque não moldava o seu discurso para agradar a platéia. Falava da realidade do inferno e da necessidade de arrependimento. Condenava os que, por medo de rejeição, escondiam seus pecados e buscavam lugares de destaque na sociedade. Ao demonstrar não ter medo da rejeição, Jesus deixou o exemplo para os discípulos e até os alertou: “sereis odiados de todos por causa do meu nome”. Quem quer ser rejeitado a esse nível? Eu mesmo não quero.

Por isso, nem sempre tenho coragem de falar da minha fé para os perdidos. “O que vão pensar de mim ?”, recuo. Como sei que não posso alimentar esse meu medo para que Jesus também não se envergonhe de mim, peço a graça de Deus e o poder do seu Espírito para ser como Pedro. O apóstolo foi capacitado a enfrentar cara a cara as autoridades que mandaram crucificar Jesus. Mas nem sempre foi assim. Antes, quando confiava em si mesmo, foi capaz de negá-lo três vezes na frente de humildes serviçais.

 

Mauro Gomes

Aprendiz de Servo Inútil

7 Comentário

  1. É incrível como tentamos nos esconder até do próprio Deus, impossível!

    Penso que só estaremos no caminho da santidade quando o “eu de casa” estiver mais próximo do “eu do trabalho”, mais próximo do “eu da igreja”, cada dia mais semelhante a Cristo. É difícil. Mas não impossível!

    Preciso a cada dia lutar para aproximar esses “eus” do verdadeiro EU SOU.

    Que Deus nos perdoe pelas faltas e mantenha vivo no nosso coração o desejo de mudar e nos aperfeiçoar continuamente em Jesus. E que nossas atitudes reflitam estes pensamentos.

    Deus te abençoe! Boa semana pra ti!

  2. Eguinaldo Muniz de Almeida

    A minha timidez é comportamental, na minha juventude pensei em mim isolar o meu modo de agir com as pessoas era pensando em agradar porque eu tinha medo do que iriam pensar de mim.
    Quando Cristo entrou em minha vida passei a entender que a timidez não fazia parte do plano de Deus(Ap 21,8). Estou lutando para vencer e ser conduzido pelo Espirito Santo e cumprir o meu chamado.

    “Porque qualquer que, nesta geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas palavras, também o Filho do Homem se envergonhará dele, quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos.“ (Mc 8.38)

  3. Kátia Cunha

    Estou de volta à minha terra! Que maravilha voltar.

    A temática do medo vem sendo trabalhada de forma muita intensa nos últimos anos. Isso me faz lembrar de um autor da atualidade que escreveu um livro com o título “Medo Líquido”, estamos falando de Bauman, um sociólogo polonês, que estuda a vida social contemporânea.
    Bauman define o medo da seguinte forma: “”Medo” é o nome que damos a nossa incerteza: nossa ignorância da ameaça e do que deve ser feito – do que pode e do que não pode – para fazê-la parar ou enfrentá-la, se cessá-la estiver além do nosso alcance.”
    Medo é incerteza!Uma incerteza pessoal, afinal esse medo pode se expressar de muitas formas, e de formas diferentes no conjunto das pessoas.
    Assim, todos conhecemos o medo, pois como sentimento expressa nossa insegurança e vulnerabilidade.
    Entre os diversos tipos de medo, há o medo de ser excluído, rejeitado, o que na verdade simboliza a morte, ou segundo Balman, a morte metafórica, e para esta não há imunidade. Esse medo metafórico, a exclusão, coloca em questão as relações humanas, as quais não se ancoram mais na certeza e a cada dia vão transformando-se em ansiedade. Por isso a necessidade de estarmos em alerta em relação ao outro, quer seja em relação à traição, frustração ou suspeita. Não é de se admirar que gastamos tanto tempo nas relações virtuais, a qualquer problema desligamos ou desconectamos e assim resolvemos a perigo, mesmo provisoriamente, de encarar a morte metafórica, ou a exclusão.
    Mas como vencer o medo? Podemos vencer?
    1 João 4:18 “No amor não há medo; o amor que é totalmente verdadeiro, afasta o medo.Portanto, aquele que sente medo não tem no seu coração o amor totalmente verdadeiro, porque o medo mostra que existe castigo”.
    Nesse caso o segredo está no amor!Afinal, se não tivermos amor nada faz sentido(I Corintios 13).
    Oro para que cada dia o amor seja abundante entre nós, para sermos mais corajosos diante do mundo. Um abraço.

  4. Alvinho Vilela

    O medo de regeição é a “mola propulsora” de “sociedades alternativas”. Por medo de ficar só, indivíduos ou grupos convertem-se à idéias de qualquer natureza para pertencerem ou parecerem pertencer a determinado grupo, ao exemplo de times de futebol, religiões, “gangues” e outros. Diante de Deus, “parecer SER”, não funciona, então o ser humano acaba por preferir estar distante dEle, perdendo a Salvação e ganhando um convívio social, ainda que de fachada.
    A igreja genuinamente Cristã, precisa ser feita de pessoas que se conheçam e que “tomem conta” umas das outras, ajundando-se a aproximar o discurso da prática de vida. Esta prática gera vida verdadeira diante de Deus. O reconhecimento do pecado e o pedido de perdão estarão presentes todo o tempo e o ambiente de a doração e liberdade será estabelecido, banindo o medo de rejeição, pelo simples fato de sentir acolhido por Deus.

    Descubra por qual motivo você faz parte do seu gropo social!
    Para meditar: João 8:32
    Em Cristo
    Alvinho Vilela

  5. Meu carissimo amigo Mauro,
    Lendo seu artigo sinto-me pequeno para comentar, dada a facilidade que vc tem de descrever uma questão tão comum neste mundo de meu Deus.
    Remeteu-me ao passado e fez-me lembrar das dificuldades que vivi quando jovem. Sempre fiquei intrigado com as vanatagens que eram contadas pelos meus colegas e amigos de rodinhas jovens. Tantas aventuras e grandezas… tudo para se fazer destacado e aceito no grupo. Foi peciso muito tempo e clareza da realidade do viver para que eu superasse essa fase. No rito de passagem senti-me liberto e confiante. E para tudo isso foi Deus quem me orientou. Venci!
    Parabéns pelo Blog e pelo texto de hoje.
    Girley Brazileiro

Responder

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>