Não largo o esterco

Não largo o esterco

         Gosto de assistir na TV, no canal History, um programa chamado “Trato Feito” que mostra o dia a dia de uma loja de compra e venda de antiguidades. Nesse programa é comum aparecerem pessoas querendo vender um objeto que compraram ou herdaram. Em alguns casos, o cliente acha que tem algo de muito valor nas mãos e, quando o especialista dá uma olhada, vem a decepção. A “relíquia” valia apenas alguns trocados. Em outras situações, o cliente, que comprou um objeto por uma ninharia em um bazar, toma um susto ao saber que possui um “tesouro” que vale milhares de dólares. Ignorar o valor das coisas pode custar caro. Quando isso acontece, tanto posso deixar de desfrutar oportunidades  valiosas que me são oferecidas ao longo da vida, como também posso desperdiçar tempo e energia correndo atrás de miragens que, ao final, se revelam como um monte de areia seca e estéril.

         No programa “Trato Feito”, quando o dono da loja não conhece o real valor do objeto, ele chama um especialista, um estudioso que geralmente revela todos os detalhes históricos da relíquia, quando foi feita, que tipo de pessoa a usava e como usava e, por fim, qual o seu valor. Tenho a impressão que os tesouros celestiais também são assim. Só poderei valorizá-los de verdade se conhecê-los mais profundamente. Paulo experimentou a “suprema grandeza do conhecimento de Cristo Jesus” e, depois disso, passou a considerar como esterco todos os motivos de vanglória que possuía como fariseu.

Meu conhecimento superficial de Cristo ainda não me fez chegar a tanto. Por não conhecê-lo mais profundamente, troco Jesus por coisas supérfluas e que até me fazem mal. Agarrado às coisas do mundo, chego até a evitar uma aproximação mais profunda por meio da leitura da Palavra e da oração porque, no fundo, não quero largar o esterco. Dessa forma, me perpetuo nesse círculo vicioso: Não busco mais a Cristo porque não conheço o seu sublime valor e não conheço o seu valor inestimável porque não o busco. A Bíblia é como o especialista consultado pelo dono da loja no programa “Trato Feito”. Ela gritar aos meus ouvidos que não existe coisa mais valiosa que o conhecimento daquele que é “antes de todas as coisas”.

Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará também o vosso coração. Lucas 12:34

 

Mauro Gomes

Aprendiz de Servo Inútil

 

3 Comentário

  1. Pura verdade. Mudança de atitude já!

  2. Irmão gostei muito do texto,não digo o mundo, mas se todos que se diz cristão abandonase o esterco, a igreja faria muita diferença.

  3. Oi Mauro,
    Boa Noite!

    Verdadeiras e duras as palavras!Principalemnte quando associadas ao esterco meu irmão….

    Onde estamos colocando então nosso coração? Essa deveria ser nossa questão. Ao descobrirmos a resposta, com ela descobriríamos também o tesouro de nossa vida.

    Onde de fato está concentrado o nosso investimento, o nosso tempo, as nossas forças, a esperança…..

    Até quando vamos nos enganar em relação ao que de fato valorizamos. Um tesouro é o que aguardamos ou guardamos, escondemos ou dividimos?

    Obrigada pela possibilidade de reflexão.

Responder

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>