Sou um covarde

Sou um covarde

 Ontem um amigo me falou que não para de por em prática os dons que recebeu de Deus apesar de muitas vezes ser acusado de querer “aparecer” ou  de querer “ser melhor do que os outros”. Ele concluiu dizendo: “Deus não se agrada dos covardes”. Senti como se fosse o próprio Deus falando para mim, que no último mês de maio completei 50 longos anos de covardia. Diz-se que oportunidade é um cavalo celado que passa à sua frente. Bem, na minha vida perdi a conta do número de cavalos celados que PARARAM na minha frente e eu simplesmente os mandei embora motivado por um misto de covardia e preguiça. Isso nas mais diversas áreas da minha vida, como profissional, sentimental e religiosa. Em todas elas fui um covarde.

No caso deste blog mesmo, há muito tempo vinha sendo instigado a colocá-lo no ar mas me mantive com o pé atrás sempre preocupado com a minha reputação.  Mas outro amigo me fez ver que devo me preocupar mais com a minha reputação perante Deus. Desde quando coloquei o blog no ar o meu medo do que os outros vão pensar tem limitado minhas postagens. Mas, depois de ontem, decidi pedir a Deus mais coragem para falar o que tiver de falar sem me preocupar se vou ser rejeitado, desprezado ou mal falado. Como disse João, o batista: “importa que Jesus cresça e que eu diminua”.

Por isso, vou me esforçar para colocar para fora todos os temas que me vierem a cabeça. Só ontem listei uns sete que já poderiam estar no ar se não fossem a covardia e a preguiça. Que a graça do Senhor de sustente.

 

Mauro Gomes

Aprendiz de Servo Inútil

14 Comentário

  1. Mauro,
    compartilho desta experiência de que “muitos cavalos celados que PARARAM na minha frente e eu simplesmente os mandei embora motivado por um misto de covardia e preguiça”. Recentemente Deus tem fortemente me lembrado da parábola dos talentos. Ele nos deu vários e por opção resolvemos enterrá-los, quando ele de forma tão clara nos mostra que temos o dever de multiplicá-los, de nos esforçarmos para dar o melhor e não sermos medíocres. Algo que de certa forma me acostumei a ser, fazer simplesmente “o simples”. Mas fomos chamados para servir ao Deus altíssimo em todo lugar, em todo o tempo, nosso testemunho deve ser uma prova do nosso esforço e busca para exaltarmos nosso Criador, Provedor, Salvador. Sinto internamente vergonha por muitos erros, momentos, que optei por deixar o “cavalo passar” e até cair dele. Mas ao mesmo tempo Deus nos mostra que todo tempo é tempo de recomeço, que após a confissão, vem o perdão. Precisamos realmente mudar a atitude, não nos conformarmos e nos transformarmos. Que Ele nos abençoe, nos conduza e nos dê sabedoria e perdão e que nós o busquemos enquanto ele está perto. Importa que ele cresça!

    • Mauro Gomes

      Caro Audifax,
      Seu comentário foi muito importante para mim, pois revela o quanto temos em comum em nossas lutas. Que a Graça do Senhor continue contigo.

  2. José Stanley

    Caro amigo e mano MAURO,que o Senhor Deus use tua covardia/ousadia para nos ajudar em admitir também nossos temores, preguiças e covardia (você não está só nessa meu caro).Uma sugestão: escreve também sobre o medo. Aliás conheces a estória sobre o medo de baleias?!Conto na próxima postagem.
    Grande abraço

    Stanley

    • Mauro Gomes

      Caro Stanley, são pessoas como vocë que Deus usa para nos sustentar. Suas sugestões são sempre muito bem-vindas. Fale-me sobre o medo das baleias. Muita graça e paz para vc.

  3. Também faço parte do grupo. Estou lutando para ser um ex-covarde.
    Se não perdermos o medo, logo veremos mulas e pedras clamando em nosso lugar.

    • Mauro Gomes

      Caro Renildo, é muito confortante saber que não estou só. Temos que fazer como Pedro, buscar o poder do espírito a fim de sermos transformados como ele foi. Obrigado pelo seu incentivo. Muita graça e paz para vc.

  4. Rachel Brito ximenes

    Excelente texto. O comodismo, preguiça e, infelizmente, mundanismo, tem devastado a igreja de um modo geral. Infelizmente, a igreja abandonou o cristianismo da igreja primitiva e tem se contentado com um cristianismo medíocre. A mudança começa em cada um de nós.

    • Mauro Gomes

      É verdade Rachel. Isso acontece porque nós estamos na igreja, mas afastados de Jesus. Só o convívio diário com Ele pode nos mudar.

  5. Luiz Carlos

    Prezado Mauro,
    é impossível ler seu texto e este não servir de carapuça para quem leu. Eu me vejo na mesma condição do servo que recebeu um talento e o escondeu na terra. Deus, na sua infinita bondade, me favoreceu com muitos “talentos” e eu por timidez (medo, covardia), receio à crítica ou qualquer outra coisa que me sirva de justificativa, não os tenho multiplicado como deveria. Vejo-me, porém, no momento atual de minha vida, como eu disse aos irmãos na reunião pós-encontro, tentando ser um “vaso novo”, para que mais tarde, quando o Mestre vier cobrar pelo uso que eu dei aos talentos recebidos, eu tenha o que apresentar. Acredito que a tomada de consciência é o primeiro passo. Obrigado por me enviar o blog.

    • Mauro Gomes

      Sem dívida Luiz. Também acho que a tomada de consciência é o começo de uma longa jornada. Mas podemos descansar no fato de que toda a obra é Dele. Nos cabe perseverar em buscar conhecê-lo cada vez mais e nos colocar em suas mãos para sermos transformados e usados para a Sua Glória. Obrigado por seu comentário.

  6. Kátia Cunha

    Mauro,
    Somos mesmo covardes. Temos os dons e como servos ingratos, muitas vezes, os escondemos e outras, por medo ou covardia nos limitamos a fazer o “feijão com arroz” de todos os dias e ainda nos achamos os melhores do Reino. E ainda nos escondemos com muits desculpas que envolvem o tempo, os filhos, o trabalho e nunca as nossas escolhas.
    Grata pela ousadia de nos abrir os olhos diante de nossos medos e covardias.
    um abraço com carinho
    Kátia Cunha

  7. Meu comentario

  8. Pr. Petrônio

    Prezado Mauro, de coração louvo a Deus por sua vida, pela dedicação na igreja de Jesus. Viver neste mundo sem máscaras é um grande desafio que foi abraçado por você e por tantos que cansaram da “religiosidade” que tenta tomar o lugar de Deus, que suga o restinho de forças de corações esgotados e estafados, que em Jesus encontrou a liberdade de abrir o coração como o fez Maria Madalena, Zaqueu, Mateus, Pedro e tantos outros que no Seu ensino e exemplo encontraram a leveza da verdadeira vida. Estou com vocês! Aproveitando, parabéns pelo título de APRENDIZ de SERVO INÚTIL num evangelicalismo hierárquico (diáconos, presbíteros, pastores, bispos, apóstolos, pai-póstolo… só falta semi-deuses)!!!

    • Caro Toninho,
      Sua simplicidade e humildade no serviço de Cristo me servem de inspiração. Que Deus o abençoe.
      Mauro

Responder

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>